SEÇÃO 31 #34 – “Prime Factors”

S31_34_Prime_Factors

Tuvok traindo a confiança da Janeway!

Entre Maquis e oficiais da Frota, os intrépidos Ricardo, Roberta ManaaThiago Maldonado (Diário do Capitão) e Waldomiro discutem mais uma ocasião em que a Voyager encontrou uma nova tecnologia pra voltar pra casa (e claro: previsivelmente, deu tudo errado!)

Não é fácil julgar a Janeway em meio às adversidades do Quadrante Delta, mas nos perguntamos: ela exagera em seu apego aos princípios da Frota/Federação? Ou essa é justamente a maior força da personagem? Forçaram a barra ao fazer Tuvok agir pelas costas da capitã? Harry Kim é mesmo o maior vacilão da nave? E o mais importante: que fim tiveram as belas irmãs Delaney?

Negociação de tecnologia por baixo dos panos, a “adorável” Seska conspirando muito, Capitã Janeway cheia de dúvidas internas e mais uma espécie desinteressante dando o ar da graça na franquia. Porém o que nos deixou realmente com a pulga atrás da orelha foi: 

Janeway está noiva ainda, mas está se engraçando com outro homem durante o episódio!!!

Leitura da sinopse: Roberta Manaa

Tempo de duração: 110 min


S31_Bannner_Camisetas_site

Star Trek – Voyager 

“Prime Factors”

1ª Temporada 

Episódio 10

Diretor: Les Landau

Roteiro: Michael Perricone & Greg Elliot

Argumento: David R. George III & Eric A. Stillwell

Música: Jay Chattaway


Harry_meme


ADICIONE O NOSSO FEED

E-MAILS: Críticas, sugestões e afins para contato@secao31.com

Janeway_WEB



COMPARTILHE!
  • Olavo Lima

    Pior que o Harry só o Obrien que sofreu as piores coisas possíveis

    • Gordura do Ultra

      Pelo menos O’Brien tinha esposa ali para ajudar e não ser tão lamentavel pega ninguem

  • Davi Jeronimo

    Então penso nos Maquis na Voyager, pessoas que aceitaram a sua nova realidade, ate porque a luta deles era para manter os planetas como eram antes do acordo da Federação com a União Cardassiana.
    No quadrante Delta a luta deles não tem significado algum. E ai entra aquele condicionamento do dia dia, melhor lidar com quem tem algo em comum do que se arriscar no desconhecido. E no pior das hipóteses os Maquis aceitaram como pessoas em condições prisionais aceitam no nosso Mundo. Fiquei admirado de pensarem diferente. Parabéns pelo Podcast!