SEÇÃO 31 INTERCOM #11 – O Arco do Emissário

S31_INTERCOM_11Entre no Templo Celestial, consulte os Profetas, lute contra os Pah-Wraiths e acompanhe a jornada do capitão da Frota Estelar que se tornou um deus, caro ouvinte!
Nesse podcast, Roberta Manaa e Waldomiro discutem o Arco do Emissário, onde sérias questões sobre religiosidade foram finalmente abordadas com mais profundidade em Star Trek. Reverencie o “The Sisko”, consulte um Orbe Bajoriano, desvende profecias, tenha visões sobre o futuro, convença os Profetas a dizimar uma frota inteira de invasores, caia na porrada nas Cavernas de Fogo de Bajor, e o mais importante: tente não parecer um louco esquizofrênico aos olhos da Federação!

Tempo de duração: 91 min


COMENTADO NESSE PODCAST:

O Capitão Sisko, parecendo um malucão em “RaptureRapture-benjamin-sisko-19023379-692-530É mermão… essa parada de Emissário pode mesmo levar à loucura!

E por falar em loucura…

Kai Winn (Louise Fletcher), Comandante Kruge (Christopher Lloyd) e Tenente Suder (Brad Dourif) aparecendo juntos no clássico “Um Estranho no Ninho“, de 1975. E contracenando com Jack Nicholson! Cucko's NestSurreal ao máximo! Aliás, me enganei feio no podcast, dizendo que o Suder era Bajoriano. Ele é Betazóide, ora pourras!

Kai Winn emputecendo Jack Nicholson, nos tempos em que ela era uma enfermeira em um manicômio nos anos 70…Winn_2

E a bizarrice não tem fim! Olha aí a Kai Winn BEIJANDO o Jack Nicholson, na cerimônia do Oscar, quando ambos saíram vitoriosos. Isso explica muita coisa…oscar


ADICIONE O NOSSO FEED

E-MAILS: Críticas, sugestões e afins para contato@secao31.com

The Sisko_WEB

COMPARTILHE!
  • Alexei Bueno

    Muito bom, como sempre muito bem comentado os episódios e conceitos. Vejo que um dos pontos mais legais em Star Trek é utilizarem de metáforas para passarem conceitos do que ocorre atualmente em nossa sociedade… Com relação ao aspecto religioso vejo que em DS9 é apresentado muitos conceitos relacionados ao fanatismo religioso, pontos positivos e também negativos da religiosidade, porém tudo praticamente por meio de metáforas e comparações, digamos “alienígenas” dos fatos. Por isto sou trekker, adoro esta forma de ser do universo Star Trek, que vai muito além da ficção científica abrangendo campos tais como política, filosofia e também religião.

    • http://secao31.blogspot.com.br/ Waldomiro Vitorino

      Obrigado pelos comentário e elogios, Alexei. Pois é, Star Trek pessoalmente me marca muito também por esse olhar abrangente e questionador sobre a humanidade. Grande abraço e fique sempre à vontade pra comentar!

  • Gordura do Ultra

    Eu achei interessante o caminho do Dukat se tornando antagonista , mas entendo que podia ter ficado melhor sem parecer um vilão unilateral propriamente dito , mas é coerente com tudo que aconteceu com ele , 1º perdeu a familia por causa da filha que teve fora do casamento , depois perdeu a filha que era a unica coisa que mantinha a sanidade , a partir dai se apegou a suposta bondade que possuia , depois que finalmente caiu a ficha que nenhum bajoriano ia com a cara dele , ele enlouqueceu de vez e nisso só restou a guerra que lutava , alias ele usou os falsos deuses para auxiliar , só que ai depois que foi possuido por eles , acabou mesmo indo no caminho da devoção e destruição , ele nada mais possuia além da fé e ódio de acabar com tudo , enfim pelo menos terminou com estilo sendo meio que Smith contra Neo

    • http://secao31.blogspot.com.br/ Waldomiro Vitorino

      Assistindo novamente o episódio “Waltz” (sexta temporada), ao final do episódio, fica bem claro que estavam preparando o terreno para esse Dukat “do mal” que vemos no arco final da série. No fim de “Waltz”, Sisko diz literalmente algo como “Dukat é o mal”.

      As palavras exatas de Sisko, como estão ao final do episódio:

      “Sometimes life seems so complicated, nothing is truly good or truly evil. Everything seems to be a shade of grey. And then you spend some time with a man like Dukat, and you realize that there is such a thing as truly evil.”
      “To realize that is one thing. To do something about it is another. So what are you going to do?”
      “I’ll tell you what I’m not going to do, I’m not going to let him destroy Bajor. I fear no evil. From now on, it’s him or me.”

  • Pingback: SEÇÃO 31 INTERCOM #29 – Verdades e Mentiras de Deep Space Nine | SEÇÃO 31 | Star Trek Podcast()

  • Tartaruhga Muhtante

    Lembro da gana que minha mulher ficou de ver a Kai Winn se ferrando e , sabendo que o Gul Dukat ia dar uns pegas nela (eu saboreando a deliciosa ironia) disse pra ela “você vai adorar”.