SEÇÃO 31 #27 – “Dax”

S31_27_Dax

Nosso primeiro podcast do ano começa com tudo, com um típico e indefectível episódio de tribunal! Vamos tentar livrar nossa querida Jadzia Dax do perrengue, e com isso, venha conosco tentar entender a relação de um Trill com seu simbionte e os polêmicos (e merdeiros) hospedeiros anteriores! 

Enquanto Jadzia permanece muda, Ricardo, Roberta Manaa e Waldomiro analisam e relembram os tribunais de Star Trek, questionam algumas escolhas desse roteiro, desbancam pretensos heróis de guerra, e ainda: testemunham a jovem tenente Trill quase ser condenada à execução sumária! Mas o pior de tudo é se dar conta que, seu hospedeiro anterior (que inclusive, ajudou a formar o caráter de Sisko) simplesmente levava a esposa de um amigo íntimo pra cama!!! 

Leitura da sinopse: Roberta Manaa

Tempo de duração: 119 min


Star Trek – Deep Space Nine 

“Dax”

1ª Temporada 

Episódio 8

Diretor: David Carson

Argumento: Peter Allan Fields

Roteiro: D.C. Fontana & Peter Allan Fields

Música: Jay Chattaway


S31_Sisko_meme


ADICIONE O NOSSO FEED

E-MAILS: Críticas, sugestões e afins para contato@secao31.com

The Sisko_WEB



COMPARTILHE!
  • Renata

    Olá!

    Eu gosto de episódios de tribunal, sou fã do gênero desde a literatura até o cinema. No caso de Dax, bom é bem claro que ela é sim responsável pelos crimes cometidos pelos hospedeiros anteriores. Na verdade, eu não gosto muito do episódio porque eu acho que ele poderia ter sido mais bem feito e os Trills para mim são muito desinteressantes. Pra mim, o episódio vale mais por ser de tribunal mesmo.

    Um abraço!

    • http://secao31.blogspot.com.br/ Waldomiro Vitorino

      Oi Renata!
      Episódios de tribunal são sempre bem-vindos pra mim também. Dax culpada? Não concordo, mas interessante sua opinião. E curioso que no próprio episódio, não chegaram a conclusão nenhuma ao final. Com certeza, poderiam ter escrito melhor esse roteiro, pra mim diversos aspectos foram mal-desenvolvidos. Mas no geral, as cenas de tribunal se sobressaem e tornam ele muito interessante.
      Abraço!

      • Renata

        Bom, Waldomiro, eu a considero culpada, porque mesmo sendo uma outra pessoa , quando ela decide se unir ao simbionte, ela assume a responsabilidade por tudo que as vidas passadas fizeram, afinal de contas a consciência ainda estaria ali. Do contrário, seria muito fácil para um Trill (simbionte) escapar de qualquer sentença… seria só trocar de corpo não?

        Um abraço!

        • http://secao31.blogspot.com.br/ Waldomiro Vitorino

          Oi Renata!
          De fato é dito que um hospedeiro deve assumir as consequências de atos de hospedeiros anteriores. Mas pela própria discussão que há no episódio, Sisko tenta convencer que um novo indivíduo surge depois da simbiose. A discussão é que um hospedeiro não deve ser responsabilizado por crimes anteriores por causa disso, partindo da idéia de que são indivíduos diferentes. E na minha opinião, são mesmo, no entanto, sempre vejo a vontade do hospedeiro se sobressair sempre, sem a influência do simbionte em si. Conforme eu chego a comentar no podcast, não me lembro de nenhuma ocasião em que a vontade ou personalidade do simbionte se impôs à vontade do hospedeiro, seja ele qual for. Por isso, não acredito na hipótese levantada de que um simbionte possa “pular” de hospedeiro em hospedeiro para realizar algo (tipo um plano, um projeto, ou mesmo um crime). Essa questão toda é bem subjetiva, e não vimos tanto aprofundamento nisso na série, pelo menos não tanto quanto poderia/deveria/merecia. Eu quero ainda rever vários episódios pra ver se temos mais fatos ou comentários que me tenham escapado pra chegar a uma conclusão melhor, mas do que eu lembro, essa é minha opinião hoje.
          Abraço!

          • Renata

            Oi, Waldomiro!

            Bom, de fato, eu também nunca vi a vontade de um simbionte se sobressair à vontade do hospedeiro, e também concordo que quando há a união surge um novo indivíduo. Mas de qualquer forma, se estava na lei que a Jadzia tinha que assumir a responsabilidade, então ela tinha. Seria o caso de mudar a lei, não o veredito. Mas vai que o sistema deles não funciona assim…

            Abraços!

  • Tartaruhga Muhtante

    Eu vivo dizendo que o Bashir tem cara de brasileiro , e seu comportamento evidencia isso, “ele não desiste”.

  • Tartaruhga Muhtante

    Eu vivo dizendo que o Bashir tem cara de brasileiro. E até o comportamento dele se parece, “não desiste”.

  • Tartaruhga Muhtante

    Aproveitando o comentário, já que falaram da maquiagem do Odo…..ele tinha aspecto bem mais ameaçador e sinistro do que o que ficou como definitivo.

  • Antonio Duarte Costa Jr.

    No episódio que sequestram a Jadzia e removem o Thrill a força, da pra ver claramente a mudança na personalidade do personagem. No entanto, o novo ser se recusa a remover o simbionte e isso evidência que a vontade do simbionte tem muito peso.