SEÇÃO 31 #26 – “The Breach”

S31_26_The BreachEm nosso último podcast do ano, encaramos mais uma vez uma questão de ética médica em Star Trek! Dessa vez, analisamos uma ocasião muito relevante na vida do Dr. Phlox, enquanto descemos de rapéu para salvar intrépidos geólogos Denobulanos!

Será que é mais difícil convencer um paciente rancoroso a deixar os preconceitos de lado para ser tratado, ou contabilizar as inúmeras cenas dentro de cavernas genéricas na franquia? Hudak se parece mesmo com O Viajante? E o que dizer do filho fascistinha do Phlox, hein? Mas antes de qualquer coisa, tenha em mente: o mais difícil vai ser não desviar da discussão do episódio reclamando do terrível trailer de Star Trek Beyond!

Leitura da sinopse: Roberta Manaa

Tempo de duração: 100 min


Star Trek – Enterprise 

“THE BREACH”

2ª Temporada 

Episódio 21

Diretor: Robert Duncan McNeill

Argumento: Daniel McCarthy

Roteiro: Chris Black e John Shiban

Música: Jay Chattaway

E-MAILS: Críticas, sugestões e afins para contato@secao31.com

Archer_WEB



COMPARTILHE!
  • Gustavo

    Perfeitos os cometários pessoal. O som e a montagem do Podcast estão impecáveis.
    Quanto ao trailer do novo filme, o que esperar do nosso J.J. ? Depois dos dois primeiros Star Trek e do novo Star Wars fica muito claro o esquema:
    – Pessoal da produção e roteiristas, não vamos criar nada, para que arriscar ? Peguem todas as idéias que já deram certo (o mesmo roteiro, não tem problema), elevem tudo ao cubo e pronto ! Se explodiram 1 planeta no episódio IV, vamos destruir agora um sistema inteiro. E façam a Estrela da Morte maior ainda, construída em um planetoide. Vamos detonar ela também e tornar tudo mais fácil para os rebeldes por que o público é imbecil e não acompanha uma trama mais elaborada.

    – Mas e o novo Star Trek J.J. ?
    – Que pergunta mais idiota ! Vamos destruir a Enterprise de novo oras !

    • http://secao31.blogspot.com.br/ Waldomiro Vitorino

      Oi Gustavo!!
      Bem, no caso dos novo SW, foi feito um ótimo trabalho na minha opinião. Ali respeitou-se a essência da franquia. Por mais que o roteiro copia um monte de coisas de filmes anteriores, o respeito e o tratamento com aquele universo foi feito sob medida. Abrams sempre foi fã de SW e a Disney quis se apoiar no que mais os fãs sentiam falta ali e o resultado foi um filme que tem mesmo a essência da coisa.
      Já com Star Trek, foi feito algo mais genérico, mais para trazer quem não curtia Star Trek, e por mais que se tenha referências diversas, o que menos temos de fato, é a essência. Os filmes são divertidos, movimentados e cheios de ação, mas em quase nada lembram o que de melhor a franquia produziu, em termos de histórias criativas, ousadas e relevantes no contexto sci-fi. São filmes com ambientação espacial genéricos, com ação e explosão basicamente. Mas rasos, muito rasos e esquecíveis.

      • Tartaruhga Muhtante

        “Esquecíveis” define bem. São filmes feitos visando público passageiro. É como certa comparação que vi entre brócolis X Mc lanche em paralelo com os artistas musicais. O MC lanche pode vender mais mas todos sabem qual tem mais qualidade.

  • Gordura do Ultra

    Fico pensando se agora que viram o filme , se agora viram que se enganaram (pelo menos pra mim foi o mais Star Trek dos 3)

    • http://secao31.blogspot.com.br/ Waldomiro Vitorino

      Sim, de fato é o melhor dos 3. Mas nessa época do podcast parecia mesmo pra mim que seria um bomba.